Header Ads

Header ADS

Igrejas Evangélicas e Protestantes Negras possuem as pregações mais longas


Em recente pesquisa realizada pela Pew Research Center  feito através de 49.719 sermões entre abril e maio e compartilhados on-line por 6.431 igrejas constatou que a duração média das pregações foi de 37 minutos.

As pregações católicas eram as mais curtos, com media de apenas 14 minutos, em comparação com 25 minutos para sermões nas principais congregações protestantes e 39 minutos nas congregações evangélicas protestantes. 

As igrejas protestantes historicamente negras tiveram de longe os pregações mais longas, com uma media de 54 minutos. 

Segundo o centro de pesquisa os sermões nas igrejas negras duram mais do que os sermões protestantes principais, embora, em média, eles possuam aproximadamente o mesmo número de palavras. Uma possível explicação, é que os pregadores das igrejas negras permitem mais tempo durante suas pregações com interlúdios musicais, respostas de fiéis nos bancos e pausas dramáticas em seu oratório.

Além da duração das pregações, a nova análise do Pew se aprofundou no exame de palavras e frases mais comumente usadas por pregadores de diferentes tradições cristãs.

Ele descobriu que a palavra “aleluia” apareceu em sermões de cerca de 22% das igrejas protestantes historicamente negras, e essas congregações eram oito vezes mais propensas do que outras a ouvir essa palavra.

Sermões de igrejas evangélicas eram três vezes mais propensos do que os de outras tradições a incluir a frase "inferno eterno".

Pew informou essa ser a tentativa mais exaustiva até o momento de catalogar e analisar sermões religiosos americanos. As  pregações foram examinadas de 2.156 congregações evangélicas, 1.367 principais congregações protestantes, 422 paróquias católicas e 278 congregações protestantes historicamente negras, enquanto outras congregações não puderam ser classificadas com segurança. 

A pesquisa não analisou sermões proferidos em sinagogas, mesquitas ou outras congregações não-cristãs.



Fonte:CT
Tecnologia do Blogger.