Header Ads

4 tipos de liderança na Bíblia: descubra qual é o seu perfil de liderança!





Na Bíblia, enxergamos diversos líderes e variados tipos de liderança. Sejam líderes espirituais, políticos, de guerra ou líderes de família, essas pessoas tinham um perfil específico com o qual exerciam sua autoridade e capacidade de liderar e guiar o povo, um grupo de pessoas, uma família, e assim por diante.

Todavia, nem todos os tipos de liderança eram bons. Ao passo que algumas pessoas utilizavam seu poder para fazer o bem e glorificar a Deus com seu testemunho, outros líderes utilizavam sua relevância em prol de seu próprio benefício.

John Maxwell, um destaque na temática liderança, autor de best-sellers pelo The New York Times e palestrante, fala exatamente o oposto disso:

“Liderança é a capacidade de se importar com os outros e, ao fazer isso, liberar as ideias, a energia e a capacidade dessas pessoas”.

4 tipos de liderança na Bíblia

De acordo com as estratégias de liderar, gerir e se relacionar com as pessoas – podemos categorizar os estilos e tipos de liderança em 4 nichos. Aqui, elencamos todos eles com exemplos bíblicos bem práticos para você compreender. Continue lendo!

#1 Liderança piedosa

O primeiro perfil de liderança que destacamos é a liderança piedosa: a liderança altruísta, bem-intencionada, compassiva e humanitária.

A liderança piedosa é aquela onde há entrega absoluta, autoridade exercida com amor, sabedoria e influência real sobre os liderados. Esse é o melhor dos tipos de liderança na Bíblia que há – alguém que se sacrifica pelos liderados ao invés de pedir que estes o façam pelo líder.

O líder piedoso entende sua função como uma missão nobre e que deve ser executada com excelência. Portanto, os líderes com esse perfil corrigem, mas também valorizam, confrontam, mas também honram. Não ensinam apenas com palavras ou longos discursos, mas com seu próprio comportamento e conduta.

Veja alguns exemplos de líderes na Bíblia que possuíam esse perfil:

  • Gaio: Foi um homem macedônio, companheiro de Paulo na pregação da mensagem e que hospedava e ajudava os irmãos. Na terceira carta de João, o autor elogia Gaio em sua conduta e liderança, sendo caracterizado por sua amabilidade, fidelidade, hospitalidade e disposição em prestar auxílio aos irmãos;
  • Moisés: O grande libertador do povo hebreu da terra do Egito, que o conduziu pelo deserto em direção à terra prometida. Moisés foi um líder humilde, sábio, que delegou funções e supervisionou os demais líderes que levantou. Esse homem se importava genuinamente com as pessoas e com a missão que Deus lhe tinha confiado.
  • Jesus: Jesus foi o melhor exemplo de liderança piedosa que já existiu. Ele deixou a sua glória para tornar pessoas iletradas, seus discípulos mais próximos, e para ensinar o Evangelho por meio da sua conduta e forma de agir. Suas palavras, por sua vez, eram vivas e eficazes:

“Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, as multidões estavam maravilhadas com a sua doutrina, porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os escribas.” (Mateus 7:28 – 29 – NVI).

Infelizmente, nem todos os líderes da Bíblia foram assim…

#2 Liderança ditatorial

Ao passo em que os líderes piedosos são altruístas e se importam com seus liderados genuinamente – procurando desenvolvê-los – os líderes “ditadores” aproveitam seu poder para comandar da forma como querem.

A liderança ditatorial é caracterizada pelo forte controle, pela autoridade imposta sem amor ou empatia, pela falta de honra e até pela manipulação. Este tipo de líder não sabe dialogar e enxerga seu poder como algo para lhe proporcionar tudo o que ele deseja – uma posição alta que lhe dá o “direito” de agir com soberba.

Infelizmente, encontramos muitos líderes assim ao longo das escrituras. Veja alguns exemplos:

  • Diótrefes: assim como Gaio, Diótrefes também é citado na terceira carta de João – mas ao contrário desse primeiro, ele não recebe elogios do autor:

“Escrevi algumas palavras à igreja, mas Diótrefes, que gosta de exercer a primazia entre eles, não nos dá acolhida. Por isso, quando eu for aí, farei com que se lembre das obras que ele pratica, proferindo contra nós palavras caluniosas. E, não satisfeito com isso, ele não recebe os irmãos, impede os que querem recebê-los e os expulsa da igreja.” (3 João 1:9-10 – NVI).

Diótrefes era soberbo, caluniador e autoritário. Utilizava sua aparente relevância para expulsar os irmãos da igreja, definindo-se como um verdadeiro líder ditador:

  • Saul: em algumas passagens da Bíblia, conseguimos observar a postura autoritarista do Rei Saul – o primeiro rei de Israel. Quando esse homem desejava algo, ele ia até o fim e mandava seus homens fazerem coisas até absurdas, sem empatia alguma. Veja um episódio e perceba o perfil de liderança deste rei:

“Naquele dia os israelitas estavam fracos de fome porque Saul havia feito este juramento: “Quem comer qualquer coisa hoje, antes de eu me vingar dos meus inimigos, será amaldiçoado.” Por isso, ninguém tinha comido nada o dia inteiro.” (1Samuel 14:24-42 – NTLH).

Na igreja, os líderes ditatoriais geralmente focam apenas em resultados – em detrimento da dedicação dos liderados – exercem cobrança extrema e excluem as opiniões e ideias de sua equipe.

#3 Liderança negligente

Deixar o perfil ditatorial de lado não significa se tornar um líder tão liberal a ponto de ser negligente. Infelizmente, porém, muitos líderes possuem justamente esse perfil: estamos falando da liderança negligente.

Certamente que as ideias e as opiniões dos liderados e discípulos devem ser levadas em consideração: afinal, em uma liderança saudável, todos são ouvidos e possuem participação ativa.

Em contrapartida, isso não significa deixar que as pessoas façam o que elas quiserem, quando bem entenderem e da forma como julgarem melhor. Um líder sábio sabe impor sua autoridade da forma correta, sem deixar que cada um aja fora da visão.

Líderes negligentes, porém, não confrontam, não impõem limites, não corrigem e muitas vezes são inseguros. Consequentemente – dentro da igreja – o grupo, a equipe, o ministério, a célula ou a própria igreja (dependendo do que esse líder lidera) se torna completamente desorganizado.

Um exemplo de líder negligente na Bíblia, é:

  • Eli: Esse homem foi o sumo sacerdote no tempo da juventude do profeta Samuel e também juiz em Israel. Ele era um líder extremamente influente, porém, era negligente com seus dois filhos: Hofni e Finéias. Acontece que Eli já era bastante idoso e, por isso, eram seus filhos que cuidavam das responsabilidades no serviço do Tabernáculo.

Infelizmente, os dois filhos de Eli não tinham temor a Deus ou respeito pelo pai. Eles transgrediam a Lei de Deus de diversas maneiras, e Eli tinha consciência disso – mas não os repreendia. Veja o que Deus disse a Samuel acerca dessa situação:

Nessa ocasião executarei contra Eli tudo o que falei contra sua família, do começo ao fim. Pois eu lhe disse que julgaria sua família para sempre, por causa do pecado dos seus filhos, do qual ele tinha consciência; seus filhos se fizeram desprezíveis, e ele não os repreendeu.” (1 Samuel 3:12-13 – NVI).

Na igreja, os líderes negligentes acabam se tornando responsáveis não apenas pelos maus feitos que fazem, mas também pelos maus feitos de seus liderados, que não são repreendidos ou confrontados.

#4 Liderança mascarada

O último perfil que elencamos para você é, sem dúvidas, o pior dos tipos de liderança na Bíblia: conheça a liderança mascarada.

Esse perfil é percebido quando o líder é – aparentemente – sábio, produtivo, trata todos da melhor maneira possível, é responsável e faz tudo com excelência. Na primeira dificuldade, porém, acabamos descobrindo que ele não estava motivado pelas questões eternas, mas que era movido por fins egoístas: visando um status, recompensas terrenas ou uma posição, por exemplo.

Esse tipo de líder acaba derrubando muitas pessoas junto com ele. Assim, por se decepcionar ou cultivar algum tipo de revolta, os novos convertidos e os liderados podem sair do ministério, da célula ou até mesmo da igreja.

Veja um exemplo de líder assim ao longo das escrituras:

  • Judas: como um dos discípulos de Jesus, Judas tinha intimidade e a confiança do Mestre – era ele, inclusive, que cuidava das finanças do ministério de Cristo. O final da sua história, porém, todos conhecem: o discípulo e amigo de Jesus o traiu por apenas algumas moedas.
Fonte: Atos6

Nenhum comentário

Comente e deixe sua opinião

Fique com Deus

Tecnologia do Blogger.